Discoteca dos anos 10: The Preatures e a marca nostálgica de “This Is How You Feel?”

thepreatures_girlhood.jpg
Desde sua formação em 2010, a banda australiana The Preatures, já lançou nove singles, dois EP’s e um álbum de estúdio.

Encabeçado pela voz da frontwoman Isabella Mandredi, o ex-quinteto fez uso de toda sua harmonização – e de uma boa produção, claro – para dar vida ao irreparável ritmo saudosista da fórmula de criação do EP “This Is How You Feel?” (2013) que, com a música de trabalho que o intitula, retirou a banda de seu quintal para revelá-la ao mundo indie, sendo convidada até para gravar uma versão especial do mini álbum para o Spotify Sessions, em NY.

Com a presença de elementos da disco music e do R&B, a sonoridade do EP foi muito associada pelos críticos ao som de Fleetwood Mac; mas apesar de apresentar mesmo essa aura nostálgica, a pegada da banda cai bem nas graças da cena alternativa de nosso tempo: aquela que se utiliza também do eletrônico e de sintetizadores, resultando numa mistura capaz de gerar bons hits e, neste caso, TRÊS das cinco músicas que compõe este trabalho.

Abrindo com a famigerada This Is How You Feel?, há aqui um interessante efeito produzido pelas guitarras, que vão do riff de introdução à ponte para o refrão, tocando o mesmo “dedilhado” (na palhetada mesmo), só que numa inversão entre eles: enquanto a primeira sobe e desce, a segunda desce e sobe a escala, o que dá a impressão de um som que ecoa e que também lembra a levada de “Staying Alive” dos Bee Gees.

A comparação com sons e bandas dos tempos áureos da vida não se limita só à sonoridade adotada pela banda, mas vai até seus videoclipes, que parecem ter encontrado inspiração também em Blondie, por exemplo. O clipe da música de trabalho lembra de longe o clássico das danceterias, Heart Of Glass.

tp ithyf

blondie
Trecho do clipe Heart Of Glass (1978) – imagem péssima pois, print. Desculpem.

Seguido dos outros dois hits “Manic Baby” e a penetrante “Revelation (So Young)”, o mini álbum é uma boa escolha para quem procura um som relacionado aos últimos trabalhos dos Strokes ou do “Days Are Gone das Haim que, inclusive, foi o que me levou a conhecê-lo. Já das duas músicas restantes, uma (“All My Love”) é cantada pelo ex-guitarrista Gideon Bensen, que deixou a banda em 2015 para seguir com sua voz aveludada em projeto solo.

Gideon-Bensen
O ex-guitarrista e step vocal, Gideon Bensen

Atualmente The Preatures segue fazendo shows em casa, na Austrália, e recentemente lançou mais um single; o Your Fan, que soa mais romântico e diferente do que tinha sido produzido pelo agora quarteto até então. Este e outros trabalhos da banda podem ser conferidos no Spotify, Deezer e no Youtube. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s